« voltar

Perguntar bem (1)

 

Quem leva você para dentro da conversação?

É o perguntar. Sabendo perguntar você entra na conversação.

 

Não há conversação sem perguntas.  

Então, você pratica as perguntas na aula?

Pense. Se só o professor faz perguntas e você se limita a responder, bem, aí  não é conversação; é interrogatório.

 

– As perguntas diretas.

Em ambiente informais ou com pessoas de convivência diária ou em questionários.

Exemplos.

What’s your name?
Where do you live?
What do you do?
Do you like it here?

 

– As perguntas indiretas. 

É uma forma de perguntar que mostra interesse em conversar, pois pede respostas completas. Não se reponde com simples “sim” ou “não”. Predomina em ambientes formais e profissionais.

Por favor, treine bem esta forma.

Exemplos.

I’d like to ask you if…(Gostaria de lhe perguntar se …)

I’d like to know if … (Gostaria de saber se …)

I’d like to know about the incident (Gostaria de saber sobre o acidente)

Please, tell me about the accident (Por favor, diga-me sobre o acidente)

If you don’t mind my asking…  (Se você não se incomodar que eu lhe pergunte…)

If that’s fine with you, I’d like to know about your family (Se não for problema para você, gostaria de saber sobre sua familia).

Sorry if I seem too personal, but I’d like to ask if you … (Não quero ser indiscreto, mas gostaria de perguntar se …)

 

Por fim,    

Não perguntar é desinteresse. Perguntar demais é interrogatório. Perguntar sem tato é invasão. No entanto, é preciso perguntar.

Viu? Perguntar é um item delicado. Por favor, melhore a maneira de perguntar em inglês. Quem pergunta bem fica na conversação. Quem pergunta mal sai.

 

Abraços,

Moriaki Hijo.

 

Para pensar. 

“As perguntas respondidas com ‘sim’ ou ‘não’ raramente são interessantes”. Julian Green.

“Uma pergunta pode ser mais importante do que qualquer resposta”. Walcyr Carrasco.

Do livro “Duailibi das citações” de Roberto Duailibi (Ed. Mandarim) página 115.

 

(Fim)